Os benefícios do sono para a saúde

07 de abril, 2021

Os benefícios do sono para a saúde

Tanto no blog quanto nas redes sociais do Persono, sempre mencionamos o sono como um dos pilares da saúde ao lado da alimentação saudável e da prática de exercícios físicos. Um não vive sem o outro: ser saudável passa diretamente por uma boa noite. E os benefícios do sono para a saúde são intermináveis.

Qual a relação entre sono e saúde?

Essa pergunta seria mais fácil se fosse qual não é a relação entre dormir bem e ser saudável.

O sono e a saúde estão tão intimamente conectados que não existe nenhum órgão ou função do corpo que não seja beneficiado pelas horas que você passa no colchão. Enquanto alguns simplesmente aproveitam para “descansar”, existem atividades que só acontecem durante a noite. 

É o caso, por exemplo, da memória que é processada enquanto dormimos. O que aprendemos durante o dia fica armazenado no hipocampo, que funciona como uma espécie de “pasta temporária” para as informações. Na manhã seguinte elas já foram transferidas para o neocórtex, na região mais alta do cérebro, que é sua “pasta definitiva”.

Então dormir mal faz mal para a saúde?

Diretamente sim. 

Não faltam evidências científicas que mostrem os prejuízos de dormir mal para as saúdes física, mental, emocional, social e até mesmo financeira de uma pessoa. 

Pessoas que dormem mal, além de menos produtivas e mais sonolentas, têm imunidade mais baixa, mais risco de AVC e hipertensão e uma expectativa de vida menor, entre outros. 

+ Leia Mais: 28 efeitos negativos de dormir mal na sua vida

Em outras palavras, isso quer dizer que os motes de “produza enquanto eles dormem” ou “estude enquanto eles descansam” não são dicas para uma vida melhor. Pelo contrário. Elas são um manual de uma vida sem saúde e possivelmente mais breve. 

Benefícios do sono para a saúde

Conheça abaixo alguns dos benefícios do sono para o seu corpo e a sua mente.

Mais saúde mental para quem dorme melhor

Cada uma das fases do sono têm um papel diferente na manutenção da saúde mental, seja para aliviar o estresse, seja para promover a criatividade ou até mesmo esquecer de momentos ruins do dia a dia. 

O sono REM, por exemplo, auxilia o cérebro no processamento de informações emocionais. Uma noite curta demais dificulta especialmente a consolidação de memórias positivas, aumentando os riscos e sintomas de enfermidades mentais. 

Um estudo britânico de 2018 também mostra outro benefício do sono para a saúde mental. Pessoas que dormem regularmente têm menor probabilidade de ter uma percepção ruim de si mesmo. Essa foi a primeira vez que ficou demonstrada a relação entre a insônia clínica e a autoimagem ruim. 

O sono auxilia o desenvolvimento da “memória muscular”

Antes de mais nada, é importante ressaltar que os músculos não têm memória, por isso essa expressão não é cientificamente correta. 

Em seu livro “Por Que Nós Dormimos?”, o neurocientista Matthew Walker explica que a tal memória muscular, expressão que usamos quando aprendemos a tocar piano ou andar de bicicleta, por exemplo, “é, na verdade, memória cerebral. Treinar e fortalecer os músculos pode ajudá-lo a executar melhor uma rotina de memória especializada”.

Quando dormimos, o cérebro continua melhorando as nossas habilidades motoras, mesmo que não estejamos praticando. Em resumo: não é a prática que leva à perfeição, mas sim a prática acrescida ao sono.

Dormir bem faz bem para o coração

Tudo o que dissermos sobre os benefícios do sono para a saúde do coração ainda vai ser pouco. As vantagens são incontáveis.

O sono é o momento de descanso do peito. Durante boa parte da noite, a pulsação desacelera e a pressão arterial cai, diminuindo o estresse do coração e permitindo que ele se recupere. Se você não dormir, isso não acontece.

Consequentemente, dormir mal aumenta o risco de doenças coronarianas. O sono tem um papel fundamental nas disparidades da saúde cardiovascular.

Diminuição do risco de derrame cerebral

Pessoas que sofrem de apneia do sono têm risco mais elevado de sofrerem derrame cerebral. Esse é apenas um dos motivos que tornam essencial o diagnóstico e tratamento desse distúrbio do sono.

O risco também é maior para quem dorme pouco, dorme muito ou sofre de insônia. A atenção do sono, acompanhamento médico e tratamento eficaz das doenças podem contribuir substancialmente para menos casos de derrames na população.

Sono pode ajudar na prevenção de diferentes tipos de câncer

O porquê dessa prevenção está na melatonina, o hormônio do sono. 

Uma das pesquisas sobre essa relação entre a melatonina e o câncer foi desenvolvida no Brasil, mais especificamente na FAMERP (Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto). 

Os cientistas brasileiros conseguiram provar que o hormônio pode ajudar no retardamento do crescimento de tumores relacionados ao câncer de mama. 

A melatonina consegue inibir o crescimento tumoral e a produção de células cancerosas, além de bloquear a formação de novos vasos sanguíneos do tumor”, explicou a coordenadora do projeto Débora Aparecida Pires de Campos Zuccari.

Redução de diferentes tipos de inflamação

A privação do sono gera naturalmente um aumento dos hormônios relacionados ao estresse e, consequentemente, também dos níveis de inflamação no corpo. 

Por esse motivo, doenças relacionadas a dores e inflamações têm na higiene do sono uma aliada essencial no tratamento.

O sono promove a alimentação saudável

O equilíbrio de dois neurotransmissores, a grelina e a leptina, é o que regula as sensações de fome e o apetite. Quando dormimos adequadamente, os níveis dos dois flutuam durante o dia para nos alertar quando é hora de comer e quando é hora de parar.

Por outro lado, dormir mal afeta diretamente esse processo, já que a falta de melatonina aumenta a produção da grelina, aumentando também a fome. Ou seja: o sono ruim “confunde” o cérebro de que é necessário comer mais do que realmente se precisa.

+ Leia Mais: Como o seu sono ruim está atrapalhando a sua dieta

Dormir te dá disposição para treinar, não importa a sua idade

Se sono, alimentação e exercícios físicos formam o tripé da saúde, não podemos esquecer de como dormir e se mexer estão intimamente conectados. Seja para atletas profissionais ou amadores.

Além de descansar a musculatura depois de um treinamento, o sono também auxilia no dia seguinte. O corpo fica mais veloz, com menor tempo de reação e menos propenso a lesões.

E tem mais: o sono de qualidade aumenta a velocidade na caminhada e a força muscular e da pegada, enquanto uma noite ruim faz crescer a dificuldade de executar quaisquer movimentos. Esses dados são resultado de um estudo com quase três mil mulheres acima de 80 anos de idade.

Risco reduzido de diabetes

Seis noites. É tudo o que uma pessoa precisa para saltar de saudável a pré-diabética. 

Dormir apenas quatro horas por seis dias seguidos é capaz de fazer surgirem sintomas de pré-diabetes em um grupo de homens saudáveis.

Isso acontece porque a tolerância à glicose é menor e as taxas de concentração de cortisol são maiores em condições de privação de sono se comparadas às mesmas pessoas quando dormem bem. 

Então já sabe: vai dormir! A sua saúde agradece. E esse é “só” um dos benefícios do sono.

Compartilhar artigo

Leia também

Arrow
Arrow
Faça parte da comunidade Persono
Enviaremos somente conteúdos relevantes para contribuir com a qualidade do seu sono e não encher a sua caixa de email