Por que os brasileiros dormem mal e não sabem disso?

19 de março, 2021

Por que os brasileiros dormem mal e não sabem disso?

Se alguém te perguntar se você dorme bem é muito capaz que você responda “sim”, sem pensar, somente pelo fato de conseguir dormir. Mas só isso não garante que você não durma mal.

Foi isso o que descobrimos na pesquisa Acorda, Brasil! desenvolvida pelo Persono em parceria com a plataforma Mindminers e a consultoria Unimark/Longo. A pesquisa ouviu mais de 2.000 pessoas que representaram os diferentes gêneros, faixas etárias, classes sociais e regiões do país.

+ Leia mais: Baixe a pesquisa Acorda, Brasil! completa clicando aqui

A pesquisa tinha como objetivo entender os hábitos de sono dos brasileiros e gerou dados preocupantes como este: 62% dos brasileiros dizem dormir bem, mas não são capazes de explicar o porquê. Ao longo das respostas, essas mesmas pessoas responderam que sentem dificuldade para pegar no sono e que acordam várias vezes à noite, por exemplo.

Para discutir por que os brasileiros não sabem o que é dormir bem e por quais razões dormem mal, reunimos especialistas para um webinar no canal do Persono no YouTube.

O Webinar conta com a participação da Dra. Andrea Bacelar (neurologista e presidente da Associação Brasileira do Sono), Carlos Azevedo (head de Ciência de Dados da Coteminas) e Danielle Almeida (head de Marketing da plataforma MindMiners).

Veja abaixo alguns dos motivos que levam o brasileiro a dormir mal que foram discutidos no Webinar:

As pessoas não enxergam sono como uma necessidade

“O que a gente vê em pesquisas científicas é que a população, não somente a brasileira, não enxerga o sono como uma necessidade biológica e fisiológica.”
Dra. Andrea Bacelar 

Enxergar o sono como um privilégio e não como uma necessidade é um problema cultural. A crença de que tempo é dinheiro e sono é perda de tempo cria uma romantização em torno da privação de sono, o que gera consequências severas à saúde das pessoas.

Esse é um dos motivos que levam o brasileiro a dormir insuficientemente e, consequentemente, dormir mal. 

O grande problema é que somente com o tempo necessário de sono que o organismo consegue cumprir diversas funções vitais à saúde, como a produção de hormônios, aumento da imunidade, consolidação de memórias e reparo físico e emocional. Coisas que não aconteceriam se você estivesse acordado.

+ Leia mais: A pergunta que não quer calar: por que nós dormimos?

As pessoas não associam o que se sentem durante o dia com o sono que tiveram à noite

“As pessoas não associam as queixas diurnas com o sono de má qualidade ou com uma quantidade menor de sono do que o necessário para elas. Por isso que quando elas são questionadas se dormem bem geralmente respondem que sim.”
Dra. Andrea Bacelar 

Cansaço, sonolência, irritação, falta de atenção e até mesmo doenças são exemplos de queixas diurnas que não são associadas à qualidade do sono, mas deveriam.

O sono impacta diretamente na nossa saúde a curto e longo prazo. Ele interfere inclusive em como nos sentimos no dia seguinte a uma boa ou má noite de sono. Um bom exemplo disso é a relação entre uma noite mal dormida com o consumo de até 300 calorias a mais no dia.

Sem conseguir fazer essa associação, dormir bem nunca será prioridade na vida dos brasileiros. Por isso a conscientização sobre o impacto do sono na saúde é tão necessária e deve ser compartilhada entre os segmentos médico, educacional, empresarial e governamental. Nesse sentido, a pesquisa Acorda, Brasil! cumpre o papel de entender os problemas e padrões do sono do brasileiro para gerar conversas sobre o assunto. 

+ Leia mais: 12 dados reveladores sobre o sono no Brasil

Os horários comercial e escolar também são motivos que levam o brasileiro a dormir mal

“Na grande maioria das vezes, temos rótulos e obrigatoriedades em relação a horários, como por exemplo entrar na escola às 7 horas da manhã. Isso é um crime com a criança e principalmente com o adolescente que precisa de um tempo maior de sono.” 
Dra. Andrea Bacelar 

O tempo necessário de sono muda, de acordo com a nossa faixa etária. Além disso, existem os diferentes cronotipos.

O cronotipo é o que determina em que períodos do dia você terá mais capacidade mental e física. Ele é uma sequência de genes que faz parte do seu DNA e define sua preferência em ser matutino, vespertino ou intermediário. 

O pleno funcionamento de todos os sistemas do organismo varia de pessoa para pessoa. Sendo assim, um único horário comercial privilegia somente uma parte da população

Considerando que os horários de funcionamento de escolas e empresas, por exemplo, não são flexíveis no Brasil, as pessoas acabam se acostumando a dormir mal e dormir pouco.

“Ir contra um ritmo biológico é ir contra a corrente.”
Dra. Andrea Bacelar 

+ Leia mais: O que é cronotipo, os diferentes tipos e como descobrir o seu

Para ver quais outros motivos que levam o brasileiro a dormir mal e entender sobre o perigo dos maus hábitos de sono, assista ao Webinar completo logo abaixo, ou clicando aqui. E não se esqueça de seguir o Persono nas redes sociais para ver mais dicas de sono e saúde: @persono  

Compartilhar artigo

Leia também

Arrow
Arrow
Faça parte da comunidade Persono
Enviaremos somente conteúdos relevantes para contribuir com a qualidade do seu sono e não encher a sua caixa de email