A pergunta que não quer calar: por que nós dormimos?

17 de fevereiro, 2021

A pergunta que não quer calar: por que nós dormimos?

Essa é a pergunta que nós, como seres humanos, estamos nos fazendo há milhares de anos. Afinal, por que nós dormimos? Por que nós, seres humanos, precisamos passar 33% do nosso tempo de olhos fechados e sem consciência do que acontece ao nosso redor? 

Os gregos antigos acreditavam no sono como um momento de cura. Para eles, essa era uma maneira de conexão com o divino e necessária para diminuir o efeito das enfermidades no corpo. 

Já na Idade Média, o meio da noite era o momento de diferentes atividades, do sexo às orações. O sono bifásico era a regra na Europa e não era esperado que ninguém dormisse a noite inteira. Esse hábito só foi perdido na Revolução Industrial, com a chegada dos exaustivos turnos de trabalho.

+ Leia Mais: Conheça mais sobre a história do sono

Na virada do século XX para o século XXI, trouxemos a tecnologia para a cama em formato de colchões, edredons e até relógios com Sleep Trackers. Mas nada disso responde por que nós dormimos. E essa é uma pergunta com tantas respostas quanto tempo que temos tentado respondê-la.

Nós dormimos porque precisamos

Dormir não é um luxo que poucos se podem dar ou um capricho que podemos escolher entre ter ou não. Dormir é uma necessidade vital para a saúde física e mental do ser humano. Desde 400 a.C. Aristóteles já falava sobre isso. 

O travesseiro Persono é usado para monitorar o sono e é recomendado pelos atletas do Time Brasil e pelo COB - Comitê Olímpico Brasileiro

Tirar algumas horas da noite para se deitar e fechar os olhos é tão necessário quanto respirar ou se alimentar.

“(O sono) é o melhor esforço da Mãe Natureza para combater a morte”, explica o neurocientista referência em assuntos do sono Matthew Walker. 

E, de fato, ainda não foi encontrada nem uma função biológica sequer que não seja beneficiada por uma noite de sono de qualidade. Porque dormir é muito mais do que apenas descansar. Abaixo você confere como dormir afeta positivamente algumas ações e partes do seu corpo.

Desenvolvimento do Cérebro

Quando nascemos, o nosso cérebro não está totalmente pronto para a vida. “É durante o sono que acontece a maturação do sistema nervoso central, até os oito anos de idade“, explica a neurologista Dra Andrea Bacelar, presidente da da ABSono. 

De maneira simples, o SNC é a parte do cérebro que é responsável pelo recebimento e processamento das informações. Ele é formado pelo encéfalo e pela medula espinal. Para desenvolver o SNC é necessário dormir.

Consolidação e limpeza da memória

A falta de sono pode reduzir a capacidade de retenção de informações em até 40%, segundo estudos. Isso acontece porque os três primeiros estágios do sono (dois sono não-REM leves e um não-REM de ondas lentas) preparam o cérebro para criar novas memórias no dia seguinte. 

É como se, enquanto dormimos, as memórias adquiridas ao longo do dia, fossem movidas da “pasta” de memórias temporárias para a “pasta” de memórias permanentes, abrindo espaço para novos aprendizados.

Imunidade contra doenças

Esse é um fator ainda mais importante em tempos de pandemia. Dormir após tomar uma vacina aumenta a memória imunológica do corpo, ou seja, o corpo reage mais positivamente ao imunizante.

Um estudo desenvolvido por psicólogos e psiquiatras nos Estados Unidos também mostrou o outro lado da moeda ao comprovar que pessoas que dormiram mal nas duas noites anteriores à aplicação de uma vacina produziram menos anticorpos. Em resumo: em quem dorme menos, a vacina funciona com menos efetividade.

Regeneração Muscular

Por que nós dormimos? Porque os músculos precisam.

Quando dormimos são liberados no corpo hormônios que constroem a musculatura, como o GH, além de permitirmos aos músculos que se regenerem depois de um dia de muito trabalho (o que não necessariamente quer dizer exaustão muscular em atletas: todos temos esse trabalho diário).

A “recuperação” do sono posteriormente é capaz de restaurar os padrões hormonais, mas não é suficiente para normalizar o processo de regeneração muscular.

Liberação do hormônio do crescimento

E por falar no GH…

A crença popular de que as crianças crescem mais enquanto dormem não passa de um mito do sono, mas ela tem seu fundamento. 

Durante a noite o corpo aumenta a produção do chamado hormônio do crescimento, o GH, que serve de estímulo para a secreção de outro hormônio: o IGF-1, que é efetivamente o responsável por processos importantes no organismo, como a absorção de nutrientes e síntese de proteínas nos ossos e nos músculos.

Estimulado, o IGF-1 age durante todo o dia. Em resumo: as crianças não crescem mais durante o sono, mas precisam dormir para crescer durante todo o dia.

Limpeza de toxinas no corpo

Durante o banho: limpeza do corpo por fora. 

Durante o sono: limpeza do corpo por dentro.

Quem explica é novamente a Dra. Andrea Bacelar, presidente da Associação Brasileira do Sono.

Durante o sono acontece uma limpeza das toxinas que são acumuladas durante o dia por meio do sistema glinfático. Isso inclui a proteína Beta-amiloide, presente no sistema nervoso central de pacientes com doença de Alzheimer“.

Descanso emocional

Não é somente a saúde física que descansa durante a noite. A saúde emocional também recebe um merecido relax quando dormimos, especificamente durante o sono REM, que funciona como uma espécie de “pronto socorro emocional“.

“É também durante o sono REM que temos um estímulo para a criatividade, que une informações para que acordemos com soluções para problemas anteriormente difíceis que estávamos enfrentando”, explica Matthew Walker.

O sono ajuda no processamento de recordações emocionais e associação de memórias de diferentes momentos da vida. A frase “vou dormir pra tomar a decisão” realmente deve ser levada para a vida.

Porque nós dormimos? Porque nós precisamos viver

Não existe saúde sem sono. Ainda podemos ser radicais e dizer: não existe vida sem dormir. Se a privação do sono por uma noite apenas tem efeitos tão graves no corpo, a longo prazo ela pode ser mortal.

Um experimento dos Anos 80 na Universidade de Chicago e repetido nos Anos 2000 com o mesmo resultado privou ratos de laboratório de dormirem por duas semanas inteiras. Em um dado momento eles começaram a desenvolver manchas no corpo que não saravam e a perder peso, não importava o quanto comessem. Até que eles começaram a apagar e não acordar mais. 

Esses são apenas alguns dos muitos motivos que explicam por que nós dormimos. A lista poderia seguir e seguir sem parar com atualizações constantes, afinal, os cientistas estão sempre descobrindo os benefícios do sono no corpo e atividades executadas por ele exclusivamente quando dormimos.

Hoje à noite, quando for dormir, lembre-se: mais do que descansar, você está fazendo consigo o maior ato de autocuidado do mundo. Boa noite. Durma bem.

Compartilhar artigo

Leia também

Arrow
Arrow
Faça parte da comunidade Persono
Enviaremos somente conteúdos relevantes para contribuir com a qualidade do seu sono e não encher a sua caixa de email