Quais são os diferentes tipos de insônia

30 de abril, 2021

Quais são os diferentes tipos de insônia

Ao contrário da crença popular, nem todas as pessoas que sofrem de insônia têm os mesmos sintomas. Da mesma maneira em que existem diferentes classificações para os distúrbios do sono, existem também diferentes classificações e tipos de insônia.

Na própria definição da Classificação Internacional de Distúrbios do Sono, essa característica já fica evidente. “(A insônia) uma dificuldade repetida de início, duração, consolidação ou qualidade do sono que ocorre apesar de oportunidades e circunstâncias adequadas para dormir, o que resulta em alguma forma de dificuldade diurna”.

Em outras palavras, a insônia pode estar relacionada ao começo, à quantidade de horas, à profundidade, à qualidade ou à combinação de dois ou mais destes fatores do dormir de uma pessoa. Saber quais deles afetam cada pessoa é básico para definir o tratamento adequado para cada caso.

Insônia primária x Insônia secundária

Assim como acontece com as hipersonias, os tipos de insônia também podem ser separados em dois grandes grupos: insônia primária e insônia secundária.

Em outras palavras, a insônia pode ser um sintoma ou uma doença. 

A insônia primária é aquela que é um problema por si só, existindo “sozinha” e cuja ocorrência não depende de um desencadear de situações para acontecer. Ela pode ter fatores intrínsecos e extrínsecos envolvidos na sua causa ou causas, mas eles não se relacionam a outro distúrbio.

Já a forma secundária do distúrbio ocorre quando a insônia é consequência de uma enfermidade ou distúrbio médico, distúrbio do sono ou uso de substâncias lícitas ou ilícitas. Em resumo, a insônia secundária é aquela que efetivamente tem uma causa detectável e essa causa está relacionada a outros fatores da vida de uma pessoa, naturais ou induzidos.

Nestes casos, o tratamento deve focar nos dois problemas: tanto a dificuldade com o sono quanto na sua origem. Caso ela seja o consumo de algum medicamento, por exemplo, converse com o seu médico para discutir a possibilidade de alterar o horário do consumo.

A classificação dos diferentes tipos de insônia

Na literatura especializada é possível encontrar diferentes formas de classificar os tipos de insônia. Essa é uma maneira de os pesquisadores e estudiosos do sono categorizarem e analisarem as diferentes formas do distúrbio. 

A classificação apresentada nesse artigo é baseada naquela apresentada no III Consenso Brasileiro de Insônia, de 2013, documento elaborado pela ABS – Associação Brasileira do Sono com a colaboração de 29 dos maiores especialistas em sono do país.

Insônia Aguda

O primeiro dos tipos de insônia é aquela chamada de aguda, cuja principal característica é o seu curto prazo de ocorrência. Geralmente, ela vem e vai em menos de um mês e tem uma causa desencadeante bem marcada, como a morte de uma pessoa amada.

A insônia aguda também pode ser chamada de “insônia de curta duração” e é mais comum em mulheres do que em homens. 

Insônia Associada a Transtornos Mentais

Como o nome indica, essa insônia tem como característica fundamental ser causada ou estar associada a um distúrbio psiquiátrico, ou seja, ela é um sintoma dessa outra doença.

Os transtornos de humor e os de ansiedade são os mais comumente associados à insônia, mas a depressão e o déficit de atenção também podem desencadear problemas de sono.

Insônia Associada a Doenças Médicas

Essa é aquela insônia causada e/ou associada a uma condição clínica determinada. 

Algumas das doenças frequentemente relacionadas à insônia são: asma, hipertireoidismo, insuficiência cardíaca e síndromes dolorosas crônicas (como a fibromialgia), além da gravidez e da menopausa.

Insônia Associada à Má Higiene do Sono

A higiene do sono é um conjunto de técnicas a serem aplicadas cujo objetivo é alcançar um sono mais saudável. Caso uma pessoa tenha hábitos inadequados que prejudiquem a sua hora de dormir, isso pode gerar uma forma de insônia.

Entre esses hábitos estão: consumo tardio de cafeína e álcool, uso excessivo de equipamentos eletrônicos e rotinas físicas e intelectuais muito desgastantes no período noturno.

Insônia Associada ao Uso de Medicamentos ou Substâncias

Esse tipo de insônia pode aparecer tanto nas pessoas que tomam remédios ou consomem alimentos que tiram o sono, quanto naquelas que retiram da sua rotina substâncias que antes as ajudavam a dormir.

Por exemplo, se uma pessoa que toma algum relaxante muscular antes de ir para a cama de repente retira essa medicação, ela pode sofrer uma espécie de abstinência que atrapalha o sono.

Insônia Psicofisiológica

Para ser considerada como psicofisiológica, a insônia precisa ter como causa a soma de um estado de hiperalerta e outra ação que comprometa o sono. É o que muitos chamam de ficar “ruminando” ou “fritando” quando se deita.

Em muitos casos, essa ação comprometedora pode ter um efeito “bola de neve”. A pessoa vai para a cama preocupada com os prejuízos que terá no dia seguinte se dormir mal e por culpa dessa ansiedade, acaba efetivamente tendo um descanso de baixa qualidade e “confirmando” a suspeita de que teria um dia ruim. É um ciclo vicioso.

Insônia Paradoxal

Diz o Consenso de Insônia que “a característica essencial dessa condição é a queixa de insônia sem a presença de comprometimento diurno ou o comprometimento é desproporcional à queixa”. 

Quando uma pessoa com insônia paradoxal é submetida a uma polissonografia, o resultado não mostra compatibilidade “entre os valores de latência para início do sono e tempo total de sono subjetivo e os valores objetivos desses parâmetros”.

Insônia Idiopática

A característica fundamental da insônia idiopática é não ter uma causa ou condição médica como desencadeadoras dos problemas para dormir. Ou seja, ela é uma insônia crônica primária. Teoriza-se que ela seja o resultado de um sistema de sono com baixa atividade ou um sistema de despertar hiperativo, mas não é possível determinar exatamente o seu gatilho. 

Insônia Comportamental na Infância

Não é necessário dizer que essa é uma condição de insônia que ocorre em crianças. Mais especificamente em crianças com uma disfunção comportamental específica, como a falta de imposição de limites. 

Se uma criança nunca tem hora pra dormir, é normal que ela ache que não precisa fazê-lo regularmente.

Frequentemente os efeitos desse tipo de insônia tem como consequência uma série de repercussões diurnas, incluindo para os seus pais ou responsáveis.

Lembre-se: apenas um médico pode diagnosticar um transtorno insone e determinar qual dos tipos de insônia uma pessoa tem. Se você notou alguma mudança nos seus padrões de sono ou se sente que ele não é de qualidade, procure um profissional da saúde.

Compartilhar artigo

Leia também

Arrow
Arrow
Faça parte da comunidade Persono
Enviaremos somente conteúdos relevantes para contribuir com a qualidade do seu sono e não encher a sua caixa de email