Qual é a diferença entre a actigrafia e os sleep trackers

14 de maio, 2021

Qual é a diferença entre a actigrafia e os sleep trackers

“O sono não é um luxo dispensável. Ele é uma necessidade biológica inegociável“. A frase é do Professor de Neurociências e Psicologia da Universidade de Berkeley e um dos maiores especialistas em sono do mundo, Matthew Walker. E ele está corretíssimo.

Assim como não podemos viver sem água, sem ar e sem alimentos, também não podemos viver sem dormir. A saúde paga o preço de apenas uma noite de sono ruim, quem dirá de várias.

Do mesmo jeito que cuidamos e monitoramos com frequência a nossa alimentação e a nossa prática de exercícios físicos, pouco a pouco começamos a fazer o mesmo com o nosso sono. Aliás, essa é uma das maiores tendências dos pilares da saúde: saber como dormirmos e tratar essa informação com a sua devida importância.

Mas a monitorização do sono, até por ser uma tecnologia relativamente recente, pode causar dúvidas. Afinal, ela funciona bem? Podemos confiar nos dados? Será que um aparelhinho no pulso pode mesmo dizer se eu estou dormindo bem? O que é actigrafia? E o que é um sleep tracker? Qual é a diferença entre eles? É essa pergunta que vamos responder aqui.

Explicando a actigrafia

A actigrafia é uma tecnologia não invasiva para analisar os ciclos de sono e despertar de um ser humano. No geral, o actígrafo, aparelho usado para desenvolver a análise, fica localizado no pulso como um relógio e grava a movimentação de uma pessoa durante o período determinado por um médico, em geral de uma a quatro semanas.

Dependendo do modelo de actígrafo usado, ele pode monitorar também a exposição à luz e ter os resultados analisados em tempo real (em outros, é preciso transferir os dados para um computador para receber as informações).

Alguns dos dados que a actigrafia consegue monitorar são:

  • Horas de sono
  • Horas acordado
  • Despertares noturnos
  • Temperatura
  • Níveis sonoros
  • Tremores

Ou seja, o actígrafo é capaz de saber quando você acorda, detectar suas atividades durante o período de sono e gerar dados como: a quantidade de horas que você dorme por noite, o tempo total que você fica acordado no dia, o número de vezes que você desperta à noite, entre outras informações relevantes a análises.

O objetivo da actigrafia é dar suporte ao diagnóstico de distúrbios do sono, auxiliando nos cuidados de pacientes que tenham problemas relacionados sobretudo ao ritmo circadiano

Em suma: a actigrafia é um exame médico e suas grandes vantagens em relação à polissonografia são a continuidade do acompanhamento e o conforto, afinal ela é feita por vários dias e em casa e não em uma só noite em uma clínica, além de não envolver dezenas e dezenas de fios e sensores conectados ao corpo. Por outro lado, a polissonografia é mais precisa e pode identificar uma variedade maior de distúrbios que um actígrafo, por mais avançado que ele seja. 

Somente um médico é capaz de avaliar qual dos dois é o exame é o adequado para cada caso. Mas, em termos gerais, a actigrafia pode ser solicitada como um exame complementar à polissonografia. 

Explicando os sleep trackers

Os sleep trackers também são uma tecnologia não invasiva que, como o seu nome indica, tem como objetivo monitorar e analisar o sono de uma pessoa. Ao contrário do actígrafo, porém, além de serem usados no pulso, há devices de sleep tracking que podem ser implementados em travesseiros, no colchão, na região do tórax e até mesmo fora da cama. 

A maioria desses dispositivos usam um acelerômetro, equipamento que detecta os movimentos durante a noite e os aplica em um algoritmo para estimar o tempo e a qualidade do sono. Enquanto alguns medem apenas tempo acordado e dormindo, outros prometem estimar o tempo passado em cada fase do sono.

Mas os sleep trackers são confiáveis?

A resposta é: depende. Antes de escolher um smartwatch ou uma smartband, busque análises e recomendações especializadas e o aval de médicos e sociedades médicas.

Mas, em termos gerais, sim, os sleep trackers são confiáveis e existem evidências científicas disso

Um dos muitos estudos sobre o tema foi feito em uma universidade sul-coreana. A pesquisa, feita com um grupo de jovens adultos, concluiu que os aparelhos analisados mostraram uma “alta acuracidade se comparada à actigrafia” na apresentação de dados do sono e na atividade do ritmo circadiano. 

Então, qual é a diferença entre a actigrafia e os sleep trackers?

A diferença é médica. Enquanto um actígrafo é um dispositivo de exame médico, um sleep tracker é um device pessoal não-médico. Confiável, mas não-médico.

A Sleep Health Foundation, organização australiana para promoção da educação do sono, em seu relatório Sleep Tracker Technology faz, porém, uma ressalva: esses aparelhos domésticos não podem ser considerados como ferramentas diagnósticas para distúrbios do sono. 

Isso não quer dizer que um sleep tracker não valha a pena, muito pelo contrário. O acompanhamento do sono pode ajudar, inclusive o médico, a estudar os seus padrões de sono. Por exemplo, às vezes, sem nem sequer perceber, começamos a ter um sono mais irregular, dormindo e acordando em horários variados e causando o chamado jetlag social.

Ou então, o processo acontece ao contrário. Você começa a perceber uma queda de rendimento no trabalho ou nos treinos. O culpado disso pode ser o sono. Sem esse acompanhamento diário, você não vai conseguir descobrir e agir rapidamente e o problema vai se extender mais do que deveria. 

Em suma, apesar de não ser um aparelho médico, um sleep tracker ou um smartwatch com a função de monitoramento do sono, é  sim um passo adiante no cuidado com a sua saúde física e emocional. É a o conforto de saber que você está de olho em um dos pilares da sua saúde. 

Continue acompanhando o blog do Persono para mais novidades de tecnologia do sono.

Compartilhar artigo

Leia também

Arrow
Arrow
Faça parte da comunidade Persono
Enviaremos somente conteúdos relevantes para contribuir com a qualidade do seu sono e não encher a sua caixa de email