Como cuidar do sono dos pais com um bebê em casa

19 de outubro, 2021

Como cuidar do sono dos pais com um bebê em casa

Um recém-nascido pode dormir até 17 horas por dia. Depois, dos três meses ao primeiro ano de vida, ele dorme até 15 horas. Só que, como todo pai e mãe sabem, essas horas são extremamente fragmentadas e ainda parece que os pequenos têm uma predileção especial pela madrugada, podendo acordar diversas vezes durante a noite. O sono dos pais é um desafio.

É choro pra trocar de fralda, choro por cólica, choro por fome… É a forma de o bebê se comunicar. Isso que nem falamos do medo dos pais com a segurança do bercinho e a morte súbita do bebê, uma síndrome muitas vezes inexplicável.

Só que cuidar do sono dos pais é tão importante quanto cuidar do sono do recém-nascido. Até mesmo para que eles possam cuidar da criança e também da própria saúde.

O sono das mães fica mais fragmentado. O dos pais não.

Dormir não é tarefa fácil quando se tem um recém nascido em casa. Quase metade dos pais de bebês com seis meses ou menos não consegue dormir mais de três horas ininterruptas por noite.

O travesseiro Persono é usado para monitorar o sono e é recomendado pelos atletas do Time Brasil e pelo COB - Comitê Olímpico Brasileiro

Seis meses. Se uma noite sozinha dormindo apenas três horas já torna o dia seguinte um desafio e tanto, imagine tanta privação do sono acumulada. 

O prejuízo é ainda maior para as mães. Elas, sobretudo quando têm mais filhos, descrevem um sono de menor qualidade e mais fragmentado, ou seja, mais interrompido por despertares e dificuldades de transitar adequadamente pelas fases do sono. E tem mais: dormir mal nessa fase ainda acelera o envelhecimento delas.

Já os pais não reportam diferenças significativas relacionadas ao tamanho da família. Isso, dizem os pesquisadores, pode indicar um desequilíbrio na divisão de tarefas domésticas relacionadas ao cuidado com os filhos. 

Dicas de sono dos pais de bebês

As dicas valem para pais e mães de primeira, segunda ou até décima nona viagem. 

1. Divisão de tarefas da casa e do bebê

Em 2021 deveria ser desnecessário dar dicas assim, mas enquanto ainda for preciso seguiremos fazendo sem problemas.

É preciso que haja uma divisão igualitária entre os dois pais (ou duas mães) no que diz respeito às tarefas domésticas. Não é questão de um “ajudar” o outro, é questão de cada um fazer a sua parte e cumprir as suas obrigações como adultos funcionais que são. 

Cabe ao pai entender que a mãe vem de nove meses de gestação e de um parto que pode ter sido demorado ou cirúrgico e que ela precisará de um suporte ainda maior nos primeiros dias. 

Em relação aos cuidados com o bebê durante o sono dos pais, o único que não pode ser dividido é a amamentação, por motivos óbvios. No demais, é preciso haver um revezamento de quem irá se levantar cada vez para que o prejuízo ao descanso seja minimizado.

2. Durma enquanto o bebê dorme

Essa é possivelmente a dica mais repetida para os novos pais, mas ela de fato é muito importante: tentar aproveitar o sono do bebê para dormir também, seja durante o dia ou à noite. Especialmente se você sabe que vem aí uma soneca mais longa da criança. 

Não tente aproveitar esse tempo para cumprir tarefas que podem ficar para depois, aproveite para descansar o quanto puder.

Claro que esse cochilo pode ser um desafio graças ao relógio biológico e à luz natural ou a presença de outras crianças na casa, mas nem que seja para se deitar por alguns minutos e relaxar acordada. Isso já pode fazer a diferença no seu dia. 

Sempre falamos aqui no Persono sobre a importância da regularidade do sono (dormir e acordar nos mesmos horários) e sobre as técnicas adequadas de tirar uma soneca, mas lembre-se que este é um período especial e que, neste caso, vale ignorar um pouco as regras do cochilo perfeito.

3. Coloque o bebê para dormir no seu quarto

Ter o bebê por perto facilita na hora dos cuidados noturnos e pode acelerar o processo de você voltar a dormir quando ele adormecer também, já que não vai precisar se levantar, acender luzes e caminhar.

Além de ajudar no sono, ter a criança de até seis meses por perto também é mais seguro, reduzindo o risco de morte súbita infantil em até 50%. Vale lembrar que apesar de dividirem espaço, pais e bebês não devem dividir a cama, pois isso aumenta o risco de sufocamento. 

4. Aceite ajuda (e não tenha medo de pedir mais)

A fragmentação do sono dos bebês é um fator complicador do sono dos pais, por isso, sempre que possível, eles podem (e devem) aceitar ajuda de amigos e familiares para garantirem umas horinhas a mais de sono.

Alguém propôs ficar com a criança um tempinho a tarde? Aproveite para dar um cochilo. 

Alguém perguntou se pode ir ao mercado por você ou fazer o almoço? Aproveite para descansar. Esse tempinho faz a diferença.

5. Pratique higiene do sono

Se as horas de sono dos pais vão ser curtas, você precisa aproveitá-las ao máximo. A higiene do sono, um conjunto de hábitos e boas práticas que ajudam a dormir melhor e mais rápido, é uma grande aliada, com um bebê ou não em casa.

Entre as práticas da higiene do sono estão: ter um “ritual” para ir para a cama, evitar cafeína e álcool depois do almoço e desligar aparelhos eletrônicos mais cedo, entre outros. 

Boa noite, sempre se lembrando que a qualidade do sono dos pais ajuda no cuidado do bebê.

Compartilhar artigo

Leia também

Arrow
Arrow
Faça parte da comunidade Persono
Enviaremos somente conteúdos relevantes para contribuir com a qualidade do seu sono e não encher a sua caixa de email