Você é seu inimigo: procrastinação vingativa na hora de dormir

30 de julho, 2021

Você é seu inimigo: procrastinação vingativa na hora de dormir

Procrastinar é “ato ou efeito de procrastinar; adiamento, delonga, demora”. Esse “atraso proposital” pode afetar o trabalho, os estudos, as tarefas do dia a dia, o início de um grande projeto e o sono. Sim, o sono. É a chamada procrastinação vingativa na hora de dormir ou procrastinação vingativa do sono. 

O termo foi cunhado em 2014 e desde então se popularizou graças a tendência natural de sermos procrastinadores. Estima-se que 25% da população procrastine algum aspecto da sua vida. O número chega a 70% no caso de estudantes universitários. 

A diferença entre a procrastinação “tradicional” e a procrastinação vingativa na hora de dormir é que, enquanto na primeira adiamos alguma tarefa incômoda, na segunda o adiamento é de uma ação que gera prazer, mas ainda assim acaba atrasada.

O que é a procrastinação vingativa na hora de dormir

A procrastinação vingativa na hora de dormir é o atraso proposital do horário de ir para a cama sem motivos para isso. Os procrastinadores do sono sabem que dormir menos tem consequências e que eles deveriam ir para o quarto, mas mesmo assim não o fazem.

O uso do termo “vingativa” descreve essa decisão consciente de atrasar o descanso em troca de alguns minutos livres que não são encontrados ao longo do dia. É uma maneira de se “vingar” da falta de tempo com aquele episódio da Netflix, o joguinho no celular ou que seja. Você sabe que deveria apagar as luzes e dormir, mas mesmo assim não vai. 

Não à toa a procrastinação vingativa na hora de dormir é frequentemente vista em pessoas de agenda muito atribulada, como aqueles com trabalhos estressantes ou estudantes. É o horário que eles têm para si e não abrem mão.

O resultado da procrastinação vingativa na hora de dormir é um atraso no início do sono e uma subsequente diminuição das horas dormindo, formando uma bola de neve sem fim. 

Causas podem ser biológicas (ou não)

Ao contrário de outros distúrbios do sono, que têm uma origem bem determinada, a procrastinação vingativa da hora de dormir tem um leque de possíveis causas teorizadas.

Uma delas é o cronotipo: pessoas noturnas ou noturnas extremas que por imposição social têm uma vida social e trabalho em horários “normais”. Só que isso não muda a sua predisposição genética a serem mais produtivas de noite e terem um pico de melatonina mais tardio. 

Por mais que essas pessoas saibam que deveriam ir dormir, já que no dia seguinte acordam cedo, simplesmente isso não é natural para elas, o que cria um efeito cascata muito negativo, de dias e dias de sono insuficiente e tentativas em vão de compensar o sono nos finais de semana.

A psicologia por trás do atraso proposital do sono 

Outro ponto de vista sobre as causas da procrastinação do sono é o fato de ela ocorrer em um estado de baixa energia mental, quando já estamos mais cansados, o que limita a força de autocontrole de tomar uma decisão e seguir adiante com ela.

Em estudos importantes, pessoas que apresentam baixa pontuação em testes de autocontrole reportam mais procrastinação vingativa na hora de dormir. 

Existe ainda uma correlação alta entre os níveis de estresse e esse atraso proposital do sono: quanto mais uma pessoa tem que “resistir a desejos” durante o dia, mais probabilidade ela tem de empurrar a ida para a cama. Em outras palavras, quanto menos coisas divertidas alguém faz durante o dia, mais ela pode querer compensar durante a noite.

É uma tentativa de se recuperar um tempo perdido. Isso ficou ainda mais evidente durante a pandemia, com o home office e o homeschooling eliminando as divisões entre casa, estudo e trabalho.

O impacto de procrastinar a hora de dormir

As mesmas consequências de uma noite mal dormida são as consequências de quem é afetado pela procrastinação vingativa na hora de dormir.

A curto prazo, já na manhã seguinte, além do cansaço, o que pode acontecer:

– Diminuição das funções cognitivas;

Dificuldade de memorização e aprendizado;

– Maior propensão a pegar gripes e resfriados;

– Dificuldade de prestar atenção;

– Menor autocontrole, ficando mais propenso a comer demais e consumir cafeína em excesso;

– Irritabilidade e níveis mais altos de estresse;

– Maior probabilidade de se envolver em acidentes de trânsito.

Entre outros. A longo prazo, as consequências são ainda mais sérias:

– Maior risco de AVC, infarto e hipertensão;

– Aumento do risco de demência na velhice;

– Níveis menores de apetite sexual;

– Risco aumentado de diabetes;

– Redução na expectativa de vida.

Mais cedo ou mais tarde, o preço do sono ruim vai ser cobrado. 

Como evitar a procrastinação vingativa na hora de dormir

Como o cronotipo é uma disposição genética e não pode ser mudado, partimos da associação entre a procrastinação vingativa na hora de dormir tem origem na baixa energia e falta de autocontrole no final do dia. 

Para a procrastinação do sono o melhor remédio é a higiene do sono, a criação de uma rotina de bons hábitos para dormir que criam um ambiente convidativo para dormir. 

O que a higiene do sono faz é usar a repetição de uma sequência de ações para “educar” o cérebro a saber que está chegando a hora de desacelerar. Por isso é essencial que a rotina inclua desconexão de aparelhos eletrônicos, já que eles inibem a produção da melatonina, conhecida como hormônio do sono. 

Para mais dicas de como criar a sua rotina de higiene do sono, acesse o post especial no Blog do Persono: O que é Higiene do Sono e como criar a sua rotina para dormir bem.

Aí vai mais uma dica: criar um hábito exige esforço e tempo. Pouco a pouco você passará a notar como essa nova rotina noturna irá fazer a diferença e a procrastinação do sono vai ficar para trás.

Boa noite. Na hora certa.

Compartilhar artigo

Leia também

Arrow
Arrow
Faça parte da comunidade Persono
Enviaremos somente conteúdos relevantes para contribuir com a qualidade do seu sono e não encher a sua caixa de email