Não precisa nem viajar. O Jetlag social está entre todos nós.

05 de março, 2021

Não precisa nem viajar. O Jetlag social está entre todos nós.

Falar em jetlag é pensar em passaporte, aeroporto, longas viagens de avião e um fuso horário difícil de lidar, tanto na ida quanto na volta dessa aventura internacional. Certo? Mais ou menos. 

Existe um jetlag que está na sua casa, dentro do seu quarto e em cima da sua cama. É o chamado jetlag social, que não precisa nem de um teco-teco para existir e atrapalhar a sua vida e a sua saúde.

“(O jetlag social) é essa mudança do horário de dormir e acordar durante a semana e o final de semana, os dias de descanso. Tentamos ‘compensar’ o descanso perdido”, explica a neurologista Dra. Andrea Bacellar, presidente da ABSono (Associação Brasileira do Sono).

Em outras palavras, o jetlag social é a nossa diferença de sono entre os dias de trabalho regular e o final de semana e feriados, quando muita gente tende a tentar “recuperar” o sono perdido. Isso não apenas não funciona como ainda prejudica a sua saúde.

Porque “jetlag social”?

O termo jetlag social foi cunhado pelo especialista em cronobiologia alemão Till Roenneberg. Em seu livro Internal Time: Chronotypes, Social Jet Lag, and Why You’re So Tired, de 2012, ele explica que, assim como quando fazemos uma viagem a um país de fuso horário diferente, se temos as horas de sono irregulares estamos agindo contra o que pede o nosso perfil cronobiológico. 

Na obra, Roenneberg é enfático ao explicar que “pessoas matutinas e pessoas noturnas nascem assim, não são criadas“. Essa é uma maneira simples de explicar o que é cronotipo. O objetivo do autor era retirar das pessoas os rótulos, como chamar de “preguiçosas” aquelas que não funcionam bem pela manhã. Elas não têm preguiça, mas sim um cronotipo mais tardio. É uma questão de genética e não de escolha.

“Consequentemente, o jetlag social é mais pronunciado em pessoas de cronotipo mais vespertino, que tem que reajustar os seus hábitos às normas sociais mais substancialmente. Aqueles de perfil mais matutino sentem efeitos mínimos desse jetlag”, explica Roenneberg em um outro estudo colaborativo de 2006 publicado pela Universidade Ludwig-Maximilian de Munique.

Por esse motivo, os adolescentes são um dos grupos mais afetados pelo jetlag social. Naturalmente nessa fase da vida as pessoas se tornam mais noturnas e, com o horário escolar começando tradicionalmente ao redor das 7h30, cria-se uma “conta que não fecha”. Esse é um dos motivos pelos quais há uma campanha global crescente que pede que as aulas comecem mais tarde

Os perigos do sono irregular

Para quem acha que é “tranquilo” lidar com esses ajustes constantes, Roenneberg tem uma má notícia. Para ele, essa versão local do atraso do sono é ainda mais perigosa que a viajante porque força a pessoa a lutar constante e persistentemente com o seu relógio biológico. Todas as semanas, para ser mais preciso.

Algumas das consequências comprovadas do jetlag social estão:

E tem mais: um estudo conduzido na Universidade do Arizona em 2017 mostrou que cada uma hora de jetlag social provoca um aumento de 11% na probabilidade de desenvolver problemas cardíacos.

“Esses resultados indicam que a regularidade do sono, além da sua duração em si, tem um papel importante na nossa saúde“, é taxativa Sierra Forbush, autora líder da pesquisa acima.

Como saber se eu tenho jetlag social?

Se você está no grupo das pessoas que dormem umas horinhas a mais no sábado e no domingo ao invés de manter a regularidade do sono no final de semana, você tem sim um jetlag social. 

Para saber exatamente o tamanho do seu problema, basta fazer uma conta simples. Subtraia do ponto médio do seu horário de sono do fim de semana, o ponto médio do seu horário de sono de segunda a sexta-feira. O resultado é o seu jetlag social.

Como calcular o jetlag social

Por exemplo: uma pessoa que durante a semana dorme da meia-noite às 7 da manhã tem o ponto médio do sono às 4 horas. Aos sábados e domingos, ela dorme das 1 da manhã até 11 horas, portanto o seu ponto médio do sono é às 6 da manhã. Essa pessoa tem um jetlag social de 2 horas. 

No jetlag meridional, o que sentimos quando mudamos de fuso horário, isso representaria uma viagem de ida e volta semanal a Bogotá, na Colômbia (comparado ao horário de Brasília).
Mais do que dormir bem, é importante para a sua saúde dormir regularmente. Que tal começar já neste fim de semana? Boa noite, bom descanso e boa saúde.

Compartilhar artigo

Leia também

Arrow
Arrow
Faça parte da comunidade Persono
Enviaremos somente conteúdos relevantes para contribuir com a qualidade do seu sono e não encher a sua caixa de email